Home » Artigos do último trimestre

Artigos do último trimestre

A intervenção militar na Síria. Para que serviu?

A intervenção militar na Síria. Para que serviu? - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

A recente intervenção militar na Síria, pela coligação que os EUA lideraram, não serviu para muito. Quase para nada como tentativa de orientar o equilíbrio regional no sentido de uma maior estabilidade. Mas, mesmo assim, quando olhada como um esforço de fazer observar uma norma a que a comunidade internacional aderiu, acabou por ser uma decisão correta. Pena é que não tenha sido consistente em todos os casos de violação do tratado de proibição do uso de armas químicas.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

26/04/2018

A América da verdade

A América da verdade - Jornal de Defesa

João Bargão dos Santos


 

A América, a tal grande América dos “sonhos”, como um dos países mais ricos do mundo e a primeira potência militar, ainda não resolveu a hipocrisia e, sobretudo, a ingratidão com que os Americanos seguem os seus Veteranos de Guerra, em especial, os “sem abrigo”, muito semelhante, aliás, à forma como lidam com os milhares de refugiados e indigentes, que proliferam no País.  


 

Documento integral em formato pdf Aqui

17/04/2018

O encontro Trump-Kim Jong Un

O encontro Trump-Kim Jong Un - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

Que se pode esperar do anunciado encontro entre Trump e Kim Jong Un? Certamente, nada próximo do que cada parte pretende alcançar. Talvez, quando muito, uma moratória sobre os testes nucleares e de mísseis balísticos por troca com uma redução das atividades militares americanas na região. Ou seja, apenas um passo num caminho que será longo e sinuoso, sob a forma de um “jogo” pensado, pelo lado chinês e norte coreano, para preservar o interesse mútuo de cooperação estratégica, afastar da região os EUA e deixar Pequim de novo com um papel central em negociações futuras.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

10/04/2018

As Forças Armadas, os recursos humanos, o mito e a realidade

As Forças Armadas, os recursos humanos, o mito e a realidade - Jornal de Defesa

Fernando de Melo Gomes


 

Os menos de 25.000 efetivos que as Forças Armadas têm hoje, materializam uma redução de mais de 60% em duas décadas e já não preenchem as necessidades do Sistema de Forças aprovado.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

09/04/2018

Forças Armadas. A reflexão e o debate público que não se fazem

Forças Armadas. A reflexão e o debate público que não se fazem - Jornal de Defesa

João Bargão dos Santos


 

No âmbito da Comissão Nacional de Defesa vai realizar-se (quarta-feira, 28 de março) na Sala do Senado da Assembleia da República uma conferência sobre “Recrutamento Militar dificuldades e desafios”. A questão que se pode desde já colocar, é saber se é possível, discutir formas de recrutamento e admitir desafios para a sua qualificação, se não se iniciar primeiramente a discussão sobre a definição do “modelo de serviço militar” que devemos ter para o País.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

27/03/2018

De novo a Guerra Fria

De novo a Guerra Fria - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

No seu recente discurso à nação, Putin tentou deixar a ideia de que a Rússia tem hoje um conjunto de meios que tornam ineficaz o escudo de proteção antimíssil americano. Embora possa transparecer desta nova realidade uma ideia de algum atraso dos EUA nesta nova corrida aos armamentos, considera-se que as novas capacidades russas não alteram a equação de dissuasão nuclear a que se deve o equilíbrio estratégico entre as duas potências. Reduzem, no entanto, as expectativas que se depositam no regime de controlo e redução de armamentos, como fator de que depende, também em parte importante, a estabilidade de relações e a confiança mútua.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

15/03/2018

"Sharp power", como forma de exercer influência

"Sharp power", como forma de exercer influência - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

As circunstâncias que permitiram à Europa ser a região do mundo onde o regime de democracia liberal, e a ordem internacional que lhe está associada, melhor se encontram consolidados, estão sob risco de alteração profunda. Já não chega estar alertado. Vai ser necessária uma postura nova, à altura dos desafios.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

25/02/2018

Davos e o regresso à geopolítica

Davos e o regresso à geopolítica - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

O Fórum Económico de Davos mostrou que, no imediato, tudo parece estar a correr bem. A economia mundial continua a crescer (3,2% em 2016, 3,7% em 2017, previsto 3,9% para 2018), mas as perspetivas não são otimistas. Começa-se a falar de sinais de que alguma tempestade possa estar a caminho e nem todos se encontram preparados para o embate. Aprofunda-se o ceticismo de muitos economistas que não reconhecem este crescimento como sustentável e que se mostram preocupados em não ver qualquer progresso na procura de fazer chegar os benefícios da globalização a todos e de forma mais equilibrada.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

05/02/2018

Que Defesa e meios para o País

Que Defesa e meios para o País - Jornal de Defesa

João Bargão dos Santos


Não obstante a inevitável reconversão sobretudo de efetivos, que de algum modo teve que ser feita às nossas FFAA após o fim da guerra em África, por mais inacreditável que pareça, pouco mais foi feito, passados mais de quarenta anos.


 

 

Documento integral em formato pdf Aqui

 

02/02/2018

O estado da democracia

O estado da democracia - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

A análise da Freedom House sobre o estado da democracia em 2018 mostra que as democracias liberais continuam a perder espaço a favor de regimes autoritários e totalitários que, precisando de inimigos externos para justificar as suas políticas internas, não se mostram inclinados a manter compromissos com a paz e a coexistência.


Documento integral em formato pdf Aqui

22/01/2018

Irão, a pagar os custos da sua ambição regional

Irão, a pagar os custos da sua ambição regional - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


A crise de instabilidade que vive presentemente o Irão é, em quase todos os aspetos, diferente da anterior (2009). Mas o seu desfecho não diferirá em termos significativos, para desapontamento dos muitos que veem uma oportunidade de queda do anacrónico regime iraniano. Pode significar um pequeno passo nesse sentido, mas o essencial vai manter-se como uma disputa interna entre a linha reformista e a linha dura, que é a que tem prevalecido.


Documento integral em formato pdf Aqui

10/01/2018

Jerusalém e as políticas de Trump

Jerusalém e as políticas de Trump - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

Poderá o Presidente americano quebrar o interminável impasse em que vive o conflito entres judeus e palestinianos com a decisão de considerar Jerusalém capital de Israel? Os que querem acreditar que existe uma nova estratégia falam de um propósito duplo. Em relação aos palestinianos, uma tentativa de pôr fim, de uma vez por todas, às expectativas dos radicais que insistem em moldar a sua postura à volta da recusa em reconhecer Israel. Em relação a Israel para lhes lembrar que é chegada a altura de retribuírem com maior flexibilidade o tratamento muito generoso que estão a receber da atual administração americana. Ou seja, que não comprometam o plano de paz que vai ser apresentado proximamente.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

18/12/2017

Uma nova fase para o Médio Oriente

Uma nova fase para o Médio Oriente - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

O tema principal das discussões sobre a instabilidade no Médio Oriente centra-se hoje na rivalidade entre o Irão e a Arábia Saudita, questão que deixou de lado o “eterno” conflito palestiniano com Israel. Não é um assunto novo da agenda regional, mas é um ponto que se tem agudizado ultimamente e pode gerar alterações significativas na geopolítica do Médio Oriente.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

04/12/2017

Arábia Saudita. Num ponto de viragem

Arábia Saudita. Num ponto de viragem - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

Os EUA estão perante um quadro de transformações políticas na Arábia Saudita que, a concretizar-se, vem ao encontro da evolução que há muito desejam para o país. Parte delas seria uma boa notícia para todo o mundo, como passo no combate ao fundamentalismo islâmico. Mas um agravamento das tensões com o Irão – que Trump parece apoiar, senão mesmo incentivar – pode deitar tudo a perder.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

19/11/2017

Catalunha. Alguns pontos de reflexão

Catalunha. Alguns pontos de reflexão - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

Resta saber se o desenvolvimento que a crise na Catalunha precisa de ter, para sair da situação difícil em que se encontra, pode ser alcançado com os atuais protagonistas. Do lado independentista, parece que não. Puigdemont aceita as eleições de 21 de dezembro no contexto de um caminho para independência, uma forma de dizer que não se contenta com maior autonomia. Quer tudo de uma forma irresponsável e sem qualquer respeito pela metade da população catalã que não aprova as suas exigências. Do lado de Madrid, ainda não é claro se haverá disponibilidade para admitir que não chegará invocar a Constituição e recorrer aos tribunais para resolver a situação.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

06/11/2017

De novo, o Iraque

De novo, o Iraque - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

Os curdos são maior grupo étnico sem estado próprio; 35 milhões espalhados por quatro países (Turquia, Irão, Síria e Iraque). A força da sua identidade vai continuar a desencadear esforços para o objetivo final de ter o seu espaço. Será improvável, no entanto, que venham a ter o sucesso a que aspiram, a começar pela luta que abriram no Iraque.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

23/10/2017

As operações de manutenção de paz

As operações de manutenção de paz - Jornal de Defesa

Alexandre Reis Rodrigues


 

As estatísticas sobre operações de manutenção de paz no mundo são um indicador que interessa acompanhar porque nos dá alguma medida dos progressos ou retrocessos verificados no ambiente de segurança. Das últimas estatísticas disponíveis - referentes a 2016 - o que se retira é um sinal de estabilidade no número e dimensão das intervenções. Foram 62, menos uma do que em 2015, o que não é propriamente um bom indicador. Significa, na prática, que a quase totalidade das crises intervencionadas continua sem solução apesar dos enormes recursos que consomem.


 

Documento integral em formato pdf Aqui

08/10/2017